Previsões Eurocontrol

Com estirpes mais contagiosas em circulação, o aumento dos casos de Covid-19 e a pressão nos hospitais, muitos países estão a fechar fronteiras, obrigar à apresentação de teste negativo à entrada ou a quarentena.

A Comissão Europeia desaconselha “fortemente” viagens para os países mais afetados.

“É claro que os meses de Fevereiro e Março serão excepcionalmente baixos por toda a rede, exceto transporte de carga, tráfego profissional e serviços já agendados”, diz Eamonn Brennan, diretor-geral da Eurocontrol, em comunicado. “Mesmo em Abril é esperado um desempenho muito fraco com apenas uma recuperação limitada no período da Páscoa.

Os voos na Europa irão provavelmente ser apenas 25% a 30% do normal. É um desastre completo para a aviação europeia, que já estava de joelhos”.

Este mês, é esperado um tráfego 72% a 74% abaixo do normal, semelhante a Março. Futuramente serão as medidas de contenção e a vacinação a determinar o futuro do setor.

No melhor cenário, haveria já uma ligeira retoma no segundo trimestre, seguido de uma grande recuperação no período do verão. Se for este o caso, então, a aviação europeia chegaria a Junho com níveis de operação cerca de 55% inferiores ao período pré-Covid.

“No entanto, é também razoável esperar que, mesmo que a situação epidemiológica melhore no segundo trimestre, muitos estados-membros venham a escolher não relaxar as restrições nacionais a viagens, o que irá reduzir severamente a procura e impedir qualquer possibilidade de a aviação melhorar até, pelo menos, ao período do verão.

Nesse caso, então estaremos a olhar para uma quebra de 70% em Junho”, acrescenta o diretor geral da Eurocontrol.

Fonte: ECO

APTCA

APTCA

Associação Portuguesa de Tripulantes de Cabine

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Blog

Parabéns APTCA!

Tripulantes de Cabine, A APTCA celebra 37 anos. Uma existência rica em prol do setor e que hoje enfrenta um dos maiores desafios de sempre.

Obrigado Gil, bom voo!

Gil Garcia Passos deixou-nos no passado dia 20 de janeiro depois da sua última luta, desta vez contra a COVID-19. Queremos agradecer-lhe pelo ser humano