Medo de Voar

Actualmente, num mundo globalizado, viajar de avião deixou de ser uma actividade exclusiva de poucas pessoas, com ocupações excepcionais. No entanto, as estatísticas revelam que cerca de 40% da população mundial tem receio de voar de avião, em graus menores ou mais intensos (aerofobia).

O que fazer?

Antes do voo:

  • Não negue o seu medo, só depois de o reconhecer começará a dominá-lo. Não se critique, em vez disso, deve incentivar-se a si próprio.
  • Restringa o consumo de café, chá preto, bebidas alcoólicas e gasosas.
  • Prepare tudo o que puder com antecedência e tranquilidade e saia atempadamente para o aeroporto (não esquecer livros, música, revistas, passatempos, etc.).
  • Tente ser dos últimos passageiros na fila para o embarque, de forma a estar o menor tempo possível dentro do avião.


Durante o voo:

  • Peça assistência, em caso de necessidade, a um dos tripulantes e informe-o do seu medo de voar.
  • Tente distrair-se (ler, ouvir música, falar com alguém, etc.) e ter pensamentos positivos em vez de estar atento a todos os movimentos e sons do avião. 
  • Pratique exercícios de respiração. Quando a respiração for acelerada respire para dentro de um saco (de preferência, de papel)  para diminuir o ritmo. Inspire por 5 segundos pelo nariz e expire por 10 segundos pela boca.
  • Se sentir falta de ar (dificuldade em respirar) informe a tripulação, ela pode fornecer-lhe oxigénio suplementar existente no avião.
  • Pratique relaxamento muscular quando sentir tensão.
  • Se entrar numa zona de turbulência lembre-se que ela pode não ser agradável mas é normal e os pilotos e o avião estão preparados para ela.


Procedimentos recomendados aos Tripulantes (com passageiros com fobia de voo)

  • Durante o voo, conversar com o passageiro e tranquilizá-lo, dar-lhe atenção personalizada, mostrar interesse e empatia e validar a forma como este se sente. Mostrar disponibilidade.
  • Evitar ser autoritário, ridicularizar, infantilizar ou embaraçar o passageiro. Evitar entrar em conflito  e ser demasiadamente persuasivo. 
  • Proporcionar conforto e explicar como funciona o equipamento a bordo (cintos, reclinar de cadeiras, mesas, chamadas de tripulação, sacos de enjoo, onde se situam casas de banho, etc.) bem como explicar sons e movimentos do avião.
  • Incentivar o consumo de água porque esta diminui a adrenalina.
  • Em casos de hiperventilação (respiração acelerada), incentivar uma respiração lenta e profunda para dentro de um saco (de preferência de papel).
  • Em casos de falta de ar (dificuldade em respirar) fornecer oxigénio extra.
  • Assegurar que a turbulência é uma situação normal.
  • Em caso de necessidade, em situações de ataques de pânico incontrolaveis, administrar medicação sedativa, de acordo com a formação de primeiros socorros fornecida pela companhia aérea e chamar médico a bordo.

Avenida Almirante Gago Coutinho Nº 90    1749-039    Lisboa

Fechar Menu
×
×

Cart